Demanda não é objeto
Demanda não é objeto
A demanda é a necessidade. O objeto, a solução. Confundir um pelo outro, e isso é comum, gera grandes problemas. O mais evidente é não pensar fora da caixa e perpetuar as mesmas contratações, ano a ano, sem buscar alternativas técnicas.⁣ ⁣ Exemplos fáceis de entender:⁣ ⁣ a) Climatização de ambientes (demanda), cuja solução pode ser aquisição de ar condicionado, ventilador, aquecedor (em locais frios) etc. O gênero ar condicionado comporta várias espécies tais como Split, de janela, central.⁣ ⁣ b) Capacitação de servidor é a demanda. Os objetos podem ser: curso “in company", curso online, participação em seminários e congressos.⁣ ⁣ c) Necessidade de espaço físico (demanda). Como resolver isto? Pela construção de um prédio, pelo aluguel, compra e até pela desapropriação de um imóvel.⁣ ⁣ Certa vez, em sala de aula, uma aluna disse que sua demanda era a compra de novos uniformes. Ela explicou que os uniformes eram usados pelos servidores lotados no cerimonial, por ocasião dos eventos do órgão. Os atuais estavam velhos.⁣ ⁣ Expliquei: a compra não é a demanda, mas uma das possíveis soluções. Roupas podem ser alugadas, reformadas e adquiridas. A demanda, em verdade, era o uso de uniformes em bom estado de apresentação.⁣ ⁣ Por mais simples que seja o problema ou a precisão de seu órgão/setor, invariavelmente, haverá mais de uma solução. Dentre estas soluções disponíveis, um objeto será escolhido para a contratação.⁣ ⁣ Portanto, não comece um processo pelo objeto. Faça um documento de oficialização da demanda, apresente-a, justifique-a. Nos estudos preliminares, aponte os caminhos viáveis e mais adequados à realidade do seu órgão, conforme pesquisa de mercado. Agora, escolha seu objeto.